Em Alcântara, Presidente Guterres Filho se recusa a assinar resolução de abertura de CPI para investigar contratos e pagamento de diárias da Câmara de Vereadores

Na cidade de Alcântara, o presidente da Câmara Municipal de Vereadores, Guterres Filho (AVANTE), está próximo do seu crepúsculo da sua vida pública e está fazendo de tudo para se manter no cargo e evitar a perda do seu mandato.

Nesta quinta-feira, 2 de junho, o presidente mais uma vez empenhou-se para postergar os trabalhos dos vereadores na Casa Legislativa. Apesar da movimentação do quase ex-presidente Guterres Filho, o requerimento para criação da CPI foi aprovado.

A solicitação para criação da CPI partiu dos vereadores: Lazico (PDT), Nilson Pereira (PL), Joeds (PROS) e Marivaldo Campos (PROS). A CPI tem por objetivo a investigação de possíveis irregularidades cometidas pelo atual presidente da Câmara em contratos e pagamento de diárias.

Confira como ocorreu a votação para abertura da CPI:

Votaram favorável os vereadores: Joeds (PROS), Marivaldo Campos (PROS), Lazico (PTD), Nathalia Biné (PDT), Nilson Pereira (PL) Professor Vadico (PL) e Mario (PCdoB); votaram contra à abertura da CPI os vereadores: Guterres Filho (AVANTE) e Miecio Macedo (PL); não compareceram os vereadores Robson Corvelo (PP) e Menca Pinho (PP).

Após aprovada e criada a comissão da CPI, o presidente Guterres Filho se recusou em assinar a resolução. Antes da sessão, Guterres já havia comemorado que não teria votos suficientes para aprovação devido à ausência dos vereadores Robson Corvelo (PP) e Menca Pinho (PP).

A ausência dos vereadores Robson Corvelo e Menca Pinho nessa importante sessão, despertou grandes rumores na cidade, entre eles um conchavo com o presidente Guterres e os vereadores, para evitar a abertura da CPI para investigá-lo.

Acompanhe nossas redes sociais e fique por dentro de conteúdos exclusivos que são postados somente nelas: