PRESIDENTE DA ALEMA DECIDE CANCELAR PRIMEIRA ETAPA DO CONCURSO

COMPARTILHE:

Em meio a polemica presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão (Alema), deputado Othelino Neto, comunicou nesta segunda-feira (20), por meio de suas redes sociais, que diante das denúncias feitas pelo deputado Yglesio Moisés (Pros), decidiu anular a primeira etapa do concurso público.
“Em razão dos registros e denúncias de falhas na execução, fiscalização e segurança na aplicação da prova objetiva, bem como pela correta interpretação sobre a LGPD, quando da divulgação do resultado preliminar, decidi anular a primeira etapa do Concurso da Assembleia Legislativa”, postou o presidente da Alema.

A resolução que anulou o concurso foi publicada no Diário da Alema. A suspensão do resultado preliminar divulgado aconteceu devido a ‘denúncias de falhas de execução, supostas falhas de organização e fiscalização, indícios de fraude e segurança nas provas’.

De acordo com o documento, será realizada uma nova etapa das provas objetivas dos cargos disponibilizados no edital do concurso, sem ônus para nenhum candidato. A data ainda não foi divulgada.

Desde a divulgação, o resultado preliminar do certame, foi alvo de críticas nas redes sociais. O Ministério Público do Maranhão (MP-MA) emitiu um ofício para Assembleia Legislativa cobrando explicações sobre as denúncias de fraude.

De acordo com o presidente da Alema, o compromisso da casa é com a ‘transparência e absoluta lisura de todos e quaisquer atos de gestão do Poder Legislativo’.

“Em razão dos registros e denúncias de falhas de execução, fiscalização e segurança na aplicação da prova objetiva, bem como pela correta interpretação sobre a LGPD, quando da divulgação do Resultado Preliminar, decidi anular a primeira etapa do Concurso da Assembleia Legislativa. Nosso compromisso é com a transparência e a absoluta lisura de todos e quaisquer atos de gestão do Poder Legislativo”, disse Othelino Neto.

A decisão será encaminhada para a Procuradoria Geral do Maranhão, a Vara de Interesses Difusos e Coletivos, ao Ministério Público Estadual e a Defensoria Pública.

Acompanhe nossas redes sociais e fique por dentro de conteúdos exclusivos que são postados somente nelas:

Outras matérias